Poluição Atmosférica e seus Efeitos sobre a Saúde Humana

Qualidade do ar em São Paulo 14-10-2014

Por: Ana Marina Martins de Lima

 O estado atual do conhecimento científico

Segundo pesquisa da Equipe do Doutor Saldiva foi possível relacionar o aumento de mortes e a dispersão de partículas no ar e segundo ele: só em 2008 foram publicados pela comunidade cientifica mais de 100 estudos investigando os efeitos da poluição sobre a saúde humana.

Em sua palestra sobre o tema “Fontes emissoras responsáveis pela produção do aerossol atmosférico e ozônio na Cidade de São Paulo” A Doutora Sandra Maria de Fátima Andrade (Departamento de IAG-USP) utilizou como base o relatório da CETESB (Qualidade do Ar no Estado de São Paulo) e falou sobre as fontes de poluição nos dando as definições de:: Fumaça (FMC),Partículas  Inaláveis (MP10) ,Partículas Inaláveis Finas (MP2,5),Dióxido de Enxofre (SO2),Monóxido de Carbono (CO): Ozônio (O3) ,Dióxido de Nitrogênio (NO2) afirmou que  a formação do Ozônio relacionada ao aumento de concentração dos compostos orgânicos voláteis no ar (VOC) dos quais  destacam-se os hidrocarbonetos presentes na gasolina e os aldeídos presentes no álcool(Veja a tabela abaixo).

O Professor Doutor João Vicente Assunção, Departamento de Saúde Ambiental, FSP-USP teve como tema de sua palestra: “A concentração atmosférica de substâncias tóxicas não regulamentadas determinadas na Cidade de São Paulo”, segundo ele as fontes de liberação destas substâncias são: as incinerações de resíduos não hospitalares e a queima da cana-de-açúcar, há uma grande preocupação quanto à presença de substância tóxica com os metais pesados presentes na gasolina, assim como as dioxinas, furanos e hidrocarbonetos liberados na atmosfera, este compostos são causadores de doenças cardíacas, respiratórias e câncer de diversos tipos, além de problemas e baixo peso dos recém nascidos.

Segundo o Doutor Nelson Gouveia, Departamento de Medicina Preventiva, FM-USP o, em 2008 constatou-se aumento de caso de asma, declínio da função pulmonar e aumento de casos de anemia falciforme que devido à má formação das células sanguíneas ocorre dificuldade no transporte de oxigênio.

Em uma pesquisa realizada em 1998 e 2004 constatou-se que bebes que nascem em dias mais poluídos tem a ter baixo peso e nestas condições ocorre um aumento de mortes fetais tardias. Pesquisas realizadas nos Estados Unidos relacionaram às alterações de crescimento pulmonar em crianças e o aumento de doenças congênitas cardíacas a dispersão de gás carbônico e ao ozônio. Há evidência de que a redução do risco ocorrerá com a redução na exposição, estudos epidemiológicos indicam que a possibilidade de diminuição dos riscos ocorre se os parâmetros de qualidade do ar forem atendidos. Em 2001 Braga relata o aumento de 10% nos casos de internações quando houve um amento de PM10 e NO2 também alertou para a possibilidade de alterações hormonais serem causadas pela dispersão de Nitrogênio. Em 2002 o pesquisador Martins relatou um acréscimo de 8,07% e 14,8% nas consultas por pneumonia e gripe. Foi constatado em 2005 que 18% de casos de infecções nas vias respiratória inferiores (brônquios e pulmões) devido ao aumento da concentração de gases de nitrogênio na atmosfera.

A Doutora Marina que representou Professor Doutor Luiz Alberto cujo tema foi Poluição Atmosférica e Saúde Fetal e Gestacional demonstrou nos estudos da equipe realizados com cobaias que a poluição do ar foi responsável por alterações de parâmetros reprodutivos, quantidade de gestações, perda gestacionais, abortos, menor quantidade de machos. O baixo peso ao nascer relacionado aos casos de diabetes, hipertensão e doenças cardio vasculares. Nos animais expostos constatou-se ainda a redução do espaço sanguíneo materno, redução de calibres venosos e alterações da função pulmonar.

Segundo a Professora Doutora Cristina Haddad (Secretaria de Saúde de São Paulo) cujo o tema da palestra foi: Fatores sócio econômicos como modificadores dos Poluentes Atmosféricos, as pesquisas demonstraram que a população com renda mais baixa principalmente crianças e idosos é a que apresentou e apresenta o maior número de casos de problemas cardíacos e respiratórios relacionados a qualidade do ar, dentre estes quadros estão processos alérgicos e infecções do trato respiratório superior (garganta e nariz), bem como inflamações dos brônquios com conseqüentes quadros de pneumonias e asma.

O Professor Doutor Eduardo Jorge Sobrinho (Secretaria do Verde e Meio Ambiente – Prefeitura de São Paulo palestrou sobre: O Papel da Qualidade do Combustível e da Tecnologia de Motores como Instrumento de Promoção da Saúde Pública. Segundo Eduardo Jorge: não faz sentido a Petrobras esperar pela existência dos motores P6; a cidade de São Paulo não pode depender da boa vontade das indústrias para o cumprimento da lei ambiental e a conta é sempre paga pelo SUS, É inaceitável o atraso na melhoria da qualidade do óleo diesel e suas justificativas, enquanto morrem mais de 3 mil pessoas por ano em decorrência das emissões elevadas dos motores diesel atuais e é inaceitável o uso de automóveis a diesel em larga escala ANTES de resolver TODOS os problemas existentes para que estes veículos sejam tão limpos quanto os flex atuais.

Diante dos fatos atuais: não podemos pensar em uma Política Nacional de Mudanças Climáticas que não tenha metas e, sobretudo que só venha a possuir metas relacionadas a questões econômicas (Crédito de Carbono ou criação de Fundos econômicos) é necessário incluímos as questões de Saúde Pública.

Fonte: CETESB (2007)
Fonte: CETESB (2007)

2 comentários em “Poluição Atmosférica e seus Efeitos sobre a Saúde Humana

  1. muito legal esta explicação serviu para um trabalho de ciências que a professora mandou fazer gostaria que vocês fizessem mais textos desse pois as explicações dessa página é muito boa melhor que yahoo,wcpédia entre outras páginas porque essa pagina é muito boa

    Curtir

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s