O desafio da alfabetização global

unesco5O desafio da alfabetização global: um perfil da alfabetização de jovens e adultos na metade da Década das Nações para a Alfabetização 2003-2012
Título original / Original title: The Global literacy challenge: a profile of youth and adult literacy at the mid-point of the United Nations Decade 2003-2012
Brasília: UNESCO, 2009. 79 p. PDF (download)
• Distribuição Institucional – Como adquirir / Institutional Distribution – How to order
Resumo: Versão em português da publicação sobre o perfil da alfabetização de jovens e adultos na metade da Década das Nações para a Alfabetização 2003-2012, originalmente publicada pela UNESCO em 2008.
Palavras-chave: alfabetização; alfabetização de adultos; programas educacionais

Abstract: Portuguese version of the publication on the profile of youth and adult literacy at the mid-point of the United Nations Decade 2003-2012. Report originally published by UNESCO in 2008.

Keywords: literacy; adult literacy; educational programmes

A crise da água- Pacto Azul

livropactoazulA CRISE GLOBAL DA ÁGUA E A BATALHA PELO CONTROLE DA ÁGUA POTÁVEL NO MUNDO

A M.Books trouxe para o Brasil o Best-Seller ÁGUA, O PACTO AZUL, da consagrada autora Maude Barlow. O livro aborda uma crise ambiental que — em conjunto com o aquecimento global — apresenta uma das ameaças mais graves à nossa sobrevivência. A autora, Maude Barlow, é chefe do Council of Canadians, a maior organização canadense de militância pública, e fundadora do Blue Planet Project. Recebeu o prêmio sueco Right Livelihood Award (o “Nobel Alternativo”) por seu trabalho no movimento pela justiça da água, é autora de 16 livros, incluindo (com Tony Clarke) Ouro azul (publicado no Brasil pela editora M. Books), que foi traduzido para 16 idiomas e publicado em quase 50 países. Barlow é membro do World Future Council e participa do conselho diretor do Food & Water Watch e do InternationalForum on Globalization. Ela mora em Ottawa, no Canadá
Além de três cenários que demonstram a direção da calamidade pela “ausencia da água potável”, a autora descreve em seu livro a situação Mundial da crise da água, cita os principais acontecimentos, palestras debate e manifestações, alem das novas tecnologias utilizadas para o tratamento da água como por exemplo:  a Nanotecnologia e a dessalinização nuclear, em um contexto de exploração e preservação do Meio Ambiente, um livro para consultas e formação de técnicos especialistas em água  que possui em  seu conteúdo boas referências. Continuar lendo “A crise da água- Pacto Azul”

LANÇAMENTO: JORNALISMO AMBIENTAL E POESIA

Texto enviado por Rosi Cheque

 

Lançado neste mês de maio, na capital paulista, o livro “RETRATO”, da jornalista e radialista Rosi Cheque. A obra foi inspirada em matérias dos mais respeitados e renomados jornalistas ambientais do Brasil.  O objetivo principal do livro RETRATO é, por meio da poesia, despertar a consciência conservacionista em relação aos escassos e tão ameaçados recursos naturais do País. O prefácio foi escrito pelo jornalista e fotógrafo Haroldo Castro, que atualmente escreve para as revistas Época, Planeta, Terra da Gente e Blog Viajologia.

Graças ao apoio cultural e patrocínio, foram doados 300 exemplares para as principais bibliotecas públicas municipais e estaduais do Brasil, bem como para bibliotecas universitárias e bibliotecas de países que falam a língua portuguesa.

O livro de poesias Retrato será lançado pela All Print Editora e seus respectivos apoiadores/patrocinadores na 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2008 – maior evento Literário e Cultural da América Latina. A Bienal do Livro acontecerá de 14 a 24 de agosto no Pavilhão de Exposições do Anhembi .

Informações e resenha: http://www.allprinteditora.com.br/catalogo2/retrato.htm .

 

Sobre a autora: Rosi Cheque atua há mais de 20 anos em comunicação. É jornalista, radialista e tradutora. Alguns de seus poemas receberam premiações (local, estadual e nacional). A poetisa publicou os livros Toque de amor (2001), O seu nome é um poema (2002) e Olhos sem face (2005). Em seu extenso currículo: Instituto Ecologista de Desenvolvimento (Instituto Bioconexão), Rede Brasileira de Educação Ambiental (Rebea), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Conservation International (CI-Brasil), rádios Esperança AM, Verão FM e Cidade FM, dentre outros.

 

 

 

Autora ganhadoradora do Prêmio Literário Jabuti: Lança obra de Ficção científica abrangendo o aquecimento global e teoria da relatividade

Artigo enviado por:
Professor Gilberto Perez Cardoso.
Universidade Federal Fluminense.
  OBRA É DESTINADA AO LEITOR JOVEM, DA CATEGORIA INFANTO-JUVENIL E PODE SER ÚTIL PARA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA
“Operação Buraco de Minhoca” – uma aventura eletrizante que se passa entre presente e futuro – aborda a complexa questão das mudanças climáticas e suas conseqüências para o mundo, mais especificamente para o Brasil.
Utilizando fascinantes conceitos de Astrofísica e Cosmologia, e sempre de forma totalmente lúdica, a obra pretende motivar o jovem leitor a conscientizar-se da importância de seu engajamento nas questões do aquecimento global.
 Sinopse:
Um buraco de minhoca pode ser a salvação do mundo!
Estamos em 2192, e o planeta Terra está praticamente destruído. A única esperança é o Projeto Arca de Noé, idealizado por um milionário chinês, que pretende fundar uma nova humanidade num planeta distante. Catorze jovens cuidadosamente preparados serão a semente dessa nova era no planeta Épsilon Eridani H, mas acontecimentos inesperados trazem algumas mudanças de planos. É aí que entra a Operação Buraco de Minhoca, uma desesperada tentativa de salvar a vida no próprio planeta Terra. Através de uma viagem ao passado utilizando a Ponte de Einstein-Rosen (vulgarmente conhecida como “buraco de minhoca” e que vem a ser um túnel do tempo cuja possibilidade teórica é amplamente aceita pelos cientistas), a protagonista Mira sai do século XXII para visitar o Brasil de 2007 e aqui acaba descobrindo que o segredo é cada um fazer a sua parte.
Diz a autora:

Continuar lendo “Autora ganhadoradora do Prêmio Literário Jabuti: Lança obra de Ficção científica abrangendo o aquecimento global e teoria da relatividade”

Imagem

Educar para a Paz

Por:Ana Marina Martins de Lima / Ambiente do Meio

Foto: Ana Marina Martins de Lima

No dia Internacional da Paz em 21 de setembro de 2007 ocorreu o lançamento do livro: Educar para a Paz em Tempos Difíceis, de autoria do Prof. Dr. Xesús R. Jares, de autoria do Prof. Dr. Xesús R. Jares, publicado pela Palas Athena Editora.

Xesús Jares, é  Professor Catedrático de Didática e Organização Escolar da Universidade de A Coruña, na Espanha. Desde 1983 coordena o Coletivo Educador pela Paz da Nova Escola Galega e é presidente da Associação Galego-Portuguesa de Educação para a Paz.Autor e coordenador de diversos programas de Educação para a Paz e Convivência. Conferencista internacional e autor de inúmeros livros sobre o assunto, entre eles: Educação para a paz: teoria e prática, Artmed, 2002; Educar para a paz e a esperança em tempos de globalização, Guerra preventiva e terrorismo, Artmed, 2005.

Em palestra proferida por Xesús ele falou sobre temas com: injustiça social, negligência, racismo e pobreza. Segundo Xesús a violência impacta o cotidiano de crianças pequenas, através da mídia, uma alternativa seria adotar uma nova abordagem sobre o aprendizado da paz vivendo a não violência. O Autor também comentou sobre a riqueza musical da Colômbia, dizendo que existe a relação entre a música e a paz.

Quanto ao papel do educador é necessário que este transmita o amor aos livros, pois os que amam livros têm cultura e segundo o mesmo “a liberdade é a cultura e pensamento, o livro tem o seu papel fundamento na construção da paz”. Afirmou que sua profissão é uma das mais nobres pois o educador trabalha com o futuro e a esperança de crescimento na vida, a consciência de problemas sociais  salvam vidas, não sendo uma solução mágica, isto poderia ser um discurso hipócrita.Criticou a desvalorização do professor pelo governo brasileiro: “O Brasil tem uma divida grande  com os educadores brasileiros, é necessário pagar bem os professores… o professor têm que ser bem pago e bem formado”.