Setor Agroquímico é criativo e faz publicidade sem a necessidade de enfrentar o CONAR

Por Ana Marina Martins de Lima

glifosato

Na data de ontem após uma divulgação massiva nas redes sociais da foto dos estudantes abaixo o setor de mídia da EMATER de Goiás reeditou sabiamente a matéria e retirou a foto que foi ao ar por duas vezes e adicionou o texto abaixo:
“NOTA DE ESCLARECIMENTO
Tendo em vista a repercussão da foto que retrata participantes da palestra Soja na Alimentação Humana realizada durante a Agro Centro-Oeste Familiar (ACOF), a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) esclarece que:
Nem a Emater, nem a Universidade Federal de Goiás (UFG), nem a organização da ACOF têm qualquer ligação com a produção ou o incentivo ao uso da camiseta em que constam os dizeres “- Amor + Glifosato, por favor”, usada por estudantes retratados na referida imagem.
A Emater respeita o direito à liberdade de expressão, garantido pela Constituição Federal e, por isso, não realizou qualquer tipo de censura relacionada ao uso da camiseta entre os participantes da palestra.
A Agência reconhece, colabora e incentiva toda e qualquer prática sustentável de produção agropecuária apoiada em procedimentos seguros e ambientalmente corretos, afiançados pela legislação vigente.”
A matéria que enfatizava os estudantes foi redirecionada para importância da nova modalidade de soja, sendo contraditória a declaração visível de amor ao glifosato e o interesse em estagiar na área de orgânicos.

atletica
Um outro exemplo de “sabedoria” do marketing das agroquímicas é o espaço ocupado dentro do site a.b.e.l.h.a.s, recém aprimorado o site resulta da parceria entre as empresas abaixo e seu forte investimento em pesquisas e lançamentos de agroquímicos, além de parceria com entidades de fomento à pesquisa onde pesquisadores realizam trabalhos em prol de produtos que tem um impacto negativos significativo e muitas vezes declaro na saúde e meio ambiente.
Estrategicamente a ONG  a.b.e.l.h.a tem em seu gerenciamento pesquisadores e é possível verificar que toda a empresas tem nos seus respectivos sites citados exemplos de trabalhos de responsabilidade socioambiental, nosso marketing verde que funcionaria se a população já não estivesse ciente dos malefícios dos agrotóxicos.

abelha
É importante citar também a presença de empresas que produzem transgênicos como promotoras de eventos de produtos orgânicos quando aproveitam para distribuir sementes e realizar propagandas das diversas marcas de herbicidas, presentes no mercado nacional.
Imperam neste caso números inatingíveis por nossa imaginação de lucros, são utilizados produtos lícitos e ilícitos em diversas produções agrícolas os mais citados hoje na mídia são a soja, o milho, o algodão , o café e a cana -de-açúcar, mas também temos a produção de transgênicos e melhoramentos genéticos de arvores, empresas ligadas a celulose também lucram com o mercado de carbono.
O caso mais problemático para a o estado de São Paulo é a produção de Cana- de-açúcar, todo estado praticamente recebe toneladas de agroquímicos por meio da pulverização aérea e meio terrestre, além das queimadas e da exposição dos trabalhadores a exaustivas horas de trabalho e mudanças no clima.
A fauna está comprometida o efeito toxicológico em abelhas é mais destacado na mídia, mas ocorre principalmente a morte de mamíferos como morcegos de várias espécies e de macacos; o desiquilíbrio no meio ambiente vem proporcionando um aumento de insetos vetores, prejuízo reconhecido internacionalmente para própria produção agrícola.
Os morcegos estão perdendo suas presas naturais e mudando os hábitos, hematófagos migram para as cidades e podem transmitir doenças como a raivas, mas é importante para a população saber os morcegos são necessários também para a polinização e estes não provocam doenças em humanos ou animais.
Empresas começam a se preocupar com o monitoramento laboratorial de animais, no estado da Bahia uma equipe de pesquisadores relacionou o aumento de câncer mamário em cães com a alimentação industrializada, as rações contem soja transgênicas, além de conservantes. Em São Paulo veterinários recomendam alimentos naturais como prevenção do câncer.
Muito provavelmente a mutação genica encontrada no vetor da febre amarela esteja correlacionada aplicação de produtos químicos.
A sociedade está preocupada com a questão e possui neste momento acesso a informações capazes de mudar o padrão de consumo alterando este modelo econômico que penaliza a todos sem exceção.
Contudo infelizmente os nossos futuros Engenheiros Agrícolas bem como cientistas de renome parecem não ter informação alguma sobre os eventos acima citados.

foto hospital veterinario de Uberaba
Ilustração realizada por: hospital veterinário de Uberaba

Leia:

Em artigo publicado em 2010 a Itália inovou e utilizou morcegos no combate a mosquitos em vez de utilizar pesticidas.
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2010/05/100504_italiamorcegos_av

Entenda por que o trabalho dos morcegos pode ‘valer’ US$ 1 bilhão
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150916_morcegos_plantacoes_lab

Temos um pacote do veneno tramitando no Congresso Nacional’, alerta procuradora
http://www.sul21.com.br/jornal/temos-um-pacote-do-veneno-tramitando-no-congresso-nacional-alerta-procuradora/

Ouça:

Promotor e Defensor destacam a importância da sociedade civil na questão:

 

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s