Alerta do FORUMPAULISTACIAT : O Glifosato é um problema de Saúde Pública

Logo FORUMPAULISTACIATContribuição do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos agrotóxicos e transgênicos para os participantes da Semana da Segurança Química promovida pela Fundacentro-SP nos dias 16 a 20 de outubro de 2017

A importância social da Semana de Segurança Química

Durante a Semana de Segurança Química da Fundacentro-SP dentre várias apresentações técnicas e manifestações dos participantes houve uma preocupação para ampliar-se discussões sobre a temática: nomenclatura – venenos agrícolas, Projetos de Lei em andamentos, notificações de agravos à saúde; ressaltamos a importância deste espaço para manifestação e informação sobre o risco dos produtos químicos incluindo-se os agrotóxicos e de alternativas salubres ao trabalhador e meio ambiente bem como formas didáticas de educação para população e trabalhadores.

Alerta do Fórum Paulista: O Glifosato é um problema de Saúde Pública

Com o banimento em outros países, fabricantes do Glifosato, um pesticida presente no Roundup, tendem a incrementar estoques de agrotóxicos em países como o Brasil.

O Glifosato tornou-se o mais vendido no mundo a partir da década de 1990, com o advento de plantas geneticamente modificadas para resistir a doses cada vez maiores do produto.

O Centro Internacional de Pesquisa sobre o Câncer – OMS (IARC) bem como o Instituto Nacional do Câncer – INCA, declarou que o Glifosato, fabricado pela Monsanto, é nocivo para a vida. Fazendo valer o seu papel como instituição de crédito mundial em Saúde Pública pelo seu trabalho científico, reconhecido e atribuído há quase cinquenta anos pelas Nações Unidas (ONU), o IARC vem identificando as substâncias cancerígenas, bem como elaborando o inventário dos agrotóxicos a nível mundial, responsáveis pela evidente presença de significante epidemia de neoplasias.

O uso do Glifosato já foi banido da agricultura em vários países da União Europeia, França, Portugal, Países Baixos, Dinamarca, Suécia, da América Latina, como a Colômbia, da Ásia, Sri Lanka e dos Estados Unidos (municípios do estado da Califórnia, como Mendocino, Trinity e Marin; San Juan, estado de Washington; Jackson, estado de Oregon), dentre outros países.

Sugestão de ações pós debates:

✓ Adoção da nomenclatura: venenos agrícolas

✓ Análise de atividades de aplicação e uso de venenos agrícolas por mulheres em função do efeito teratogênico dos produtos já determinados em literatura científica

✓ Campanha midiática educativa sobre os riscos dos químicos que envolvem produtos saneantes vendidos em embalagens alternativas com produção não fiscalizada

✓ Campanha midiática educativa sobre riscos dos venenos agrícolas para saúde e meio ambiente

✓ Campanha mediática educativa sobre os riscos químicos de brinquedos produzidos a partir de materiais reciclados provenientes de embalagens de agrotóxicos e importados.

✓ Verificação da questão da segurança química em aeroportos e aviação agrícola.

Conclusão:

Do ponto de vista da saúde a fragilidade do Sistema Único de Saúde (SUS) em diagnosticar e notificar as intoxicações por agrotóxicos, aliada a uma legislação ultrapassada, com limites de exposição elevados e autorizações de uso de agrotóxicos banidos em outros países, impõe a necessidade urgente da adoção de normas mais rígidas de uso de agrotóxicos, o banimento imediato no país do Glifosato e dos agrotóxicos banidos em outros países, eliminação da desoneração fiscal – federal e estadual – à produção e comercialização de agrotóxicos e melhoria urgente da estrutura do SUS para o diagnóstico e notificação das intoxicações por agrotóxicos elencando-se a questão do risco químico junto ao risco biológico em laboratórios de pesquisas e acadêmicos e educação continuada para trabalhadores rurais de forma mais ampla.

Sobre o Fórum Paulista de combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos

O FÓRUM PAULISTA DE COMBATE AOS IMPACTOS DOS AGROTÓXICOS E TRANSGÊNICOS foi criado em 30 de agosto de 2016 e tem como atual coordenador o Promotor Gabriel Lino de Paula Pires.

O Fórum tem como objetivo geral proporcionar, em âmbito estadual, o debate das questões relacionadas aos agrotóxicos e produtos afins e transgênicos, de modo a fomentar ações integradas de tutela à saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do ambiente ante os males causados pelo seu uso.

 

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s