4º Seminário Estadual Água e Saúde: “Crise Hídrica e Segurança da Água”

Por: CVS – Centro de Vigilância Sanitária, Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo

A água é elemento condicionante e determinante da saúde, motivo pelo qual está sujeita a ações de vigilância inscritas no Sistema Único de Saúde (SUS).

No Estado de São Paulo, o olhar do setor Saúde para a preservação dos mananciais e para a garantia da potabilidade da água consumida pela população data dos primórdios da legislação sanitária, ainda no século 19.

No entanto, só mais recentemente, no início da década de 1990, as ações relativas ao tema foram de fato organizadas e sistematizadas por meio do Programa de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Proágua), cujo escopo se referencia tanto nas diretrizes nacionais, estabelecidas pelo Ministério da Saúde, como nas especificidades dos contextos estadual e municipais.

Vigiar a qualidade da água produzida para fins de abastecimento da população paulista implica um conjunto sistematizado de ações do poder público que requer particular atenção às complexidades inerentes a um território extremamente urbanizado e industrializado, onde vivem 42 milhões de consumidores desse bem essencial à saúde.

Neste cenário complexo, de intensas pressões antrópicas sobre os mananciais, é essencial que as práticas de vigilância da qualidade da água estejam alinhadas com os princípios da descentralização e da publicidade das ações, da articulação interinstitucional e da participação da sociedade.

Os Seminários Água e Saúde, iniciativa conjunta do Centro de Vigilância Sanitária e da faculdade de Saúde Pública da Universidade São Paulo (USP), em parceria com outras entidades de notória inserção no tema, consolidam-se como fórum de excelência em São Paulo para divulgar e promover o debate relativo aos avanços e desafios que a sociedade obteve ou enfrenta no tocante à água que consome.

Na quarta edição do Seminário, a intenção é abordar a segurança da água ofertada à população paulista considerando a estiagem e a crise hídrica que ora se apresentam de modo agudo no território paulista, à sombra das incertezas provocadas pelas mudanças climáticas globais. A situação exige o incremento de iniciativas integradas para avaliação e gestão pública do problema, de maneira a não apenas garantir que a população tenha acesso a água dentro dos padrões de potabilidade exigidos pela legislação, mas também assegurar que as pessoas não sejam privadas do acesso ao produto para suas necessidades elementares de hidratação e higiene, em especial os grupos populacionais mais desassistidos e vulneráveis.

Por conta disto, o 4º Seminário Água e Saúde aborda os meios de se garantir segurança e pleno acesso à água destinada ao consumo humano. A segurança da água tem protagonizado interesse e iniciativas exploratórias por parte dos órgãos de gestão da qualidade e da potabilidade, bem como dos responsáveis pelos sistemas de abastecimento público. Os Planos de Segurança da Água, fomentados pela Organização Mundial de Saúde e pelo Ministério da Saúde, compõem um conjunto de diretrizes que anunciam novas abordagens para avaliação sistêmica e para definição de estratégias voltadas a prevenir riscos sanitários associados à produção de água potável.

Como a segurança da água deve ser considerada a partir dos contextos e contingências que caracterizam o território onde ocorre a produção da água para consumo humano, o seminário leva em consideração a estiagem atual, que lança ameaças ao pleno abastecimento de água de grandes contingentes populacionais não só de São Paulo, e convida para o debate profissionais do estado de Alagoas e do estado americano da Califórnia, locais que também sofrem as agruras de um regime reduzido de chuvas.

Pela afinidade temática e arranjos estabelecidos, o Seminário dialoga com outras iniciativas que fomentam o debate especializado, como o Workshop Água e Saúde, promovido pelo Centro de Vigilância Sanitária e parceiros em maio último no município de São Paulo, e o Congresso Internacional de Segurança da Água, planejado pelo Ministério da Saúde para o primeiro semestre de 2015.

Alinhado com os preceitos da abordagem integrada e sistêmica dos problemas relativos à oferta de água potável, o seminário se organiza também a partir de subsídios oriundos do Comitê Permanente para Gestão Integrada da Qualidade da Água destinada ao Consumo Humano no Estado de São Paulo, instituído por meio da Resolução Conjunta SES/SMA/SSRH 01/2014, fórum criado pelo Governo do Estado para a gestão da água sob a ótica sanitária, ambiental e de saneamento e recursos hídricos.

DATA: 11 e 12 de dezembro de 2014,

LOCAL: Auditório do SESC São Carlos, localizado à Avenida Comendador Alfredo Maffei, 700, Jardim Gilbertoni, São Carlos, SP.

Informações: sama@cvs.saude.sp.gov.br

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s