Imagem

Seminário: Apoio ao Plano de Monitoramento Global de Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs) da Convenção de Estocolmo – Fase 2: Amostragem e Análise de Novos POPs no Brasil

Com o objetivo de  Divulgar as atividades de monitoramento de poluentes orgânicos persistentes (POPs) da Convenção de Estocolmo desenvolvidas no Brasil e discutir as metodologias de amostragem e análises de POPs em amostras de ar, água e leite materno visando fortalecer a capacidade analítica local e apoiar o monitoramento global de POPs na região da América Latina e Caribe (GRULAC) o seminário que  é uma continuação do projeto “Apoio ao Plano de Monitoramento Global (GMP) de POPs nos países da América Latina e Caribe – Fase 1” será realizado em São Paulo.

monitoramento global de poluentes orgânicos

Programa Preliminar:

26 de Fevereiro – segunda-feira

08h30 Inscrição

09h00 Abertura

09h30 Convenção de Estocolmo: Plano de Implementação Nacional

Luiz Gustavo Haisi Mandalho – Ministério do Meio Ambiente – MMA

10h10 Café

10h30 Plano de Monitoramento Global de POP’s (GMP) – Fase 2 e Resultados da 3ª rodada do Estudo Interlaboratorial mundial

Heidelore Fiedler – Universidade de Örebro, Suécia – School of Science and Technology – MTM Research Center

11h20 Projeto GEF/PNUMA – Apoio à Implementação do Plano de Monitoramento

Global de POP’s na América Latina e Caribe – Fase 2: Atividades de Amostragem e Análise de Ar Ambiente e água superficial

Maria Yumiko Tominaga – Divisão de Análises Físico-Químicas / CETESB

11h50 Rede Latino Americana de Monitoramento Atmosférico Passivo (LAPAN)

Amaro de Azevedo – Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

12h20 Almoço

13h40 Toxicidade equivalente da atmosfera por dioxinas, furanos e bifenilas policloradas, com o uso de duas técnicas de coleta, passiva e ativa.

Ana Paula Francisco – Universidade.Metodista de São Paulo (UMESP)

14h20 Desafios analíticos para análise de novos POPs

Esteban Abad – CSIC/Laboratório de Dioxinas e Furanos/IDAEA

Obs.: a palestra será proferida em Espanhol, sem tradução simultânea.

15h00 Café

15h20 Determinação simultânea de PCDD/F, PCB, PBDE e PBB em matrizes ambientais

Camila Rodrigues da Silva – Setor de Química Orgânica / CETESB

15h50 Desenvolvimento de guia orientativo para amostragem e análise de PFOS em água

Heidelore Fiedler – Univ. de Örebro – School of Science and Technology – MTM Research Center

Obs.: a palestra será proferida em Inglês, sem tradução simultânea.

16h30 Apresentação de filme sobre análise de PFOS

17h00 Encerramento das atividades do dia.

27 de fevereiro – terça-feira

08h30 Experiências e novas abordagens sobre análise de POPs por espectrometria de massa

Esteban Abad – CSIC-Barcelona/Laboratório de Dioxinas e Furanos/IDAEA

Obs.: a palestra será proferida em Espanhol, sem tradução.

09h10 “Potencial de Emissão de PBDEs e PFOS das Indústrias Brasileiras (eletroeletrônicos e têxtil)”

João Paulo A. Lacerda – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT

09h50 Café

10h10 Variações sazonais e espaciais de poluentes semivoláteis no ar urbano e suburbano – sudeste do Brasil

Rodrigo Ornellas Meire / Instituto de Biofísica – UFRJ

10h50 Monitoramento do transporte atmosférico de poluentes semivoláteis em montanhas tropicais – sudeste do Brasil

Rodrigo Ornellas Meire / Instituto de Biofísica – UFRJ

11h30 POPs em Leite Humano – Níveis no Brasil

Thomas Krauss – Instituto Nacional de Controle em Saúde – INCQS/FIOCRUZ

12h10 Almoço

13h30 POPs no Brasil

Thomas Krauss – Instituto Nacional de Controle em Saúde – INCQS/FIOCRUZ

14h10 PBDEs em peixes e cetáceos do Rio de Janeiro

João Paulo M. Torres – Instituto de Biofísica- UFRJ

14h50 Presença e destino de retardantes de chama em aterros sanitários: um estudo de caso no Brasil

Joyce Cristale – Faculdade de Tecnologia da UNICAMP (FT-UNICAMP)

15h30 Café

15h50 Grupo de Trabalho: Estruturação da Rede de Amostragem e Análise de POPs no Brasil

Coordenação: MMA/CETESB

16h40 Conclusões (MMA/CETESB)

17h00 Encerramento

Imagem

FAO realiza conferência regional para definir prioridades no combate à má nutrição

fao

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciou nesta segunda-feira (19) que realizará sua 35ª Conferência Regional para a América Latina e o Caribe em Montego Bay, Jamaica, de 5 a 8 de março de 2018.

O encontro reunirá representantes dos 33 países-membros da agência da ONU na região e definirá prioridades para o trabalho do organismo ao longo dos próximos dois anos.

“A conferência deste ano não poderia acontecer em um momento mais importante. Pela primeira vez em duas décadas, a fome cresceu na região, enquanto a obesidade e suas doenças associadas se tornaram a principal causa de morte em vários países. A hora de agir é agora”, alertou o representante regional da FAO, Julio Berdegué.

A reunião, que é a mais alta instância decisória da FAO a nível regional, terá três temas centrais: erradicar a fome, o excesso de peso e a obesidade; acabar com a pobreza rural; e promover uma agricultura sustentável que seja resiliente às mudanças climáticas.

“Mais de 42 milhões de pessoas dormem com fome todas as noites”, disse Berdegué, que lamentou os retrocessos na luta contra a fome na região. “Até recentemente, o mundo olhava para a região para replicar nossas políticas contra a fome. Mas, nos últimos anos, vimos um aumento da fome. O que queremos discutir com os países é como colocamos nosso pé de volta no acelerador.”

O outro lado da má nutrição – a obesidade – é um problema que já afeta 96 milhões de pessoas.

O dirigente explicou que, de acordo com uma estimativa feita pelo Escritório Regional da FAO, em 26 países latino-americanos e caribenhos, as doenças associadas à obesidade são responsáveis por 300 mil mortes por ano. O número contrasta com as 166 mil pessoas mortas por assassinatos.

Além do aumento da fome, nos últimos anos, o ritmo de redução da pobreza rural caiu na região e, inclusive, foram observados aumentos em alguns países. Mais de 40% dos habitantes do campo são pobres e mais de 20% não conseguem sequer comprar uma cesta básica de alimentos.

“Devemos prestar atenção nos territórios onde a pobreza rural é mais difícil (de ser eliminada) e desenvolver novas ferramentas e políticas inovadoras de desenvolvimento rural para dar uma resposta urgente”, explicou Berdegué.

A migração é outro tópico que estará no centro das discussões da Conferência. “Que as pessoas não precisem migrar por causa da pobreza, da insegurança ou de catástrofes climáticas. Que aqueles que migrem sejam acolhidos em comunidades inclusivas e igualitárias. E que aqueles que retornem aos seus países de origem possam desenvolver todo o seu potencial. Esse é o nosso objetivo”, completou o dirigente.

De acordo com Berdegué, a região da América Latina e Caribe é uma das maiores produtoras de alimentos no mundo, o que a torna um ator de importância planetária. Mas a expansão agrícola também gerou grandes custos para as nações latino-americanas e caribenhas: poluição da água, degradação da terra, desmatamento, monoculturas e emissões de gases do efeito estufa.

Segundo a FAO, a região deve expandir sua produção de alimentos por meio de práticas sustentáveis, adaptando seus sistemas de produção às novas condições climáticas. “O que acontecer com a agricultura nesta região afetará todo o mundo”, concluiu Berdegué.

Imagem

ONU Meio Ambiente e Sebrae lançam prêmio para soluções ecoinovadoras em gestão de águas

Por ONUBr

Aguas
Foto: Julio Pantoja/Banco Mundial

A ONU Meio Ambiente e o Sebrae, com o apoio do Green Nation, lançam nesta semana um edital para selecionar as melhores ideias e startups para o ‘Camp de Ecoinovação: Desafio Água’, que será realizado em Brasília, de 19 a 21 de março, durante o 8º Fórum Mundial da Água.

De toda a água do planeta, apenas 2,5% correspondem à água doce e uma parte ainda menor é limpa, segura e potável. Ciente de que a escassez hídrica — em termos de quantidade e qualidade — é um dos maiores desafios globais, a ONU Meio Ambiente e o Sebrae estabeleceram parceria para unir a força da ecoinovação e do empreendedorismo e encontrar possíveis soluções para os desafios de gestão da água. Juntos, e com o apoio do Green Nation, lançam nesta semana um edital para selecionar as melhores ideias e startups para o ‘Camp de Ecoinovação: Desafio Água’, que será realizado em Brasília, de 19 a 21 de março, durante o 8º Fórum Mundial da Água.

Serão selecionadas as propostas com soluções mais criativas e sustentáveis para os problemas da água nas áreas de indústria, cidades e agricultura. Poderão participar do desafio as startups em estágio de operação ou tração e os empreendedores com ideias inovadoras que ainda não tenham sido comercialmente exploradas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 18 de fevereiro pelo site http://sebrae.com.br/desafioagua. O processo seletivo vai eleger até dez ideias e até dez startups com projetos para o setor público e privado.

Na área de cidades, buscam-se alternativas à energia hidrelétrica, despoluição dos rios e mares e soluções em saneamento básico, entre outras. Já na indústria, que responde por 22% do consumo total da água no mundo, os desafios incluem a descontaminação da água, o consumo consciente e os processos de reúso. Por fim, na agricultura, que utiliza mais de 70% dos recursos hídricos globais, procuram-se alternativas à irrigação, às fontes de abastecimento, entre outras.

Durante o Camp de Ecoinovação, uma ideia e uma startup serão eleitas vencedoras, que serão premiadas com gadgets, mentorias exclusivas com especialistas e investidores e credenciais para participação em eventos de representatividade do segmento de startup. Todos os participantes do Camp se beneficiarão de mentorias gratuitas durante a competição, além da expansão da sua rede de contatos e da divulgação de seus projetos para um público especializado.

Para o Sebrae, é importante apresentar oportunidade para unir os pequenos negócios e ideias que gerem impacto social. “Devemos ter clareza também quanto à importância de investir em inovação de maneira sustentável, preservando o meio ambiente, e o ambiente digital favorece a sustentabilidade”, destaca a diretora técnica da instituição, Heloisa Menezes.

O diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Vinicius Lages, explica que esse tipo de competição é fundamental para as micro e pequenas empresas. “Para os pequenos negócios, a transformação digital significa muito e aliar esta realidade a ideias inovadoras para o meio ambiente aumenta a capacidade dessas empresas no cenário econômico”, explica.

Regina Cavini, oficial sênior da ONU Meio Ambiente, destaca que o grande diferencial do Camp de Ecoinovação em relação aos demais eventos do setor é o viés da sustentabilidade, que deve ser incorporada em todas as operações do modelo de negócio: “Precisamos utilizar os recursos, como a água, de maneira mais eficiente e evitar ou reduzir os impactos negativos para o meio ambiente. Isso só é possível com ideias que pensem fora da caixa e ofereçam soluções realmente ecoinovadoras para produtos e processos, ao mesmo tempo que contribuem para o melhor desempenho das empresas e sua competitividade”.

O Camp será realizado no Espaço Green Nation, na Vila Cidadã, durante o Fórum Mundial da Água. Para o diretor do Green Nation, Marcos Didonet, a iniciativa tem papel fundamental na construção de um novo cenário de soluções com potencial de impactar milhares de pessoas, negócios e o planeta. “As ideias inovadoras que irão revolucionar a humanidade estão sendo pensadas, consolidadas e executadas por diversas pessoas de múltiplas experiências e conhecimentos. Realizar o Camp é potencializar essas possibilidades de transição, promovendo a colaboração, o compartilhamento e a cocriação”, afirma.

O Fórum Mundial da Água será sediado pela primeira vez no Hemisfério Sul, estimulando o diálogo e a mobilização de diversos atores em torno do desafio global da água. A expectativa é de que se reunirão em Brasília cerca de 40 mil representantes de 170 países.

Serviço:  

Camp de Ecoinovação: Desafio Água:

Data: 19 a 21 de março de 2018

Local:  Espaço Green Nation, na Vila Cidadã, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha (SRPN, Asa Norte, Brasília, DF)

Cronograma:

Período de inscrição: 30/01 a 18/02/2018

Análise e seleção: 19 a 21/02/2018

Divulgação do resultado: 22/02/2018

Realização: 19 a 21/03/2018

Mais informações: http://sebrae.com.br/desafioagua

Imagem

Audiência pública discute em Florianópolis alterações do licenciamento ambiental no país

Por: ASCOM/MPF

Retrocesso ambiental

O Ministério Público Federal em Santa Catarina (MPF/SC), em parceria com a Comissão de Turismo e Meio Ambiente do Estado, promove audiência pública que discutirá se as propostas de alteração do licenciamento ambiental no Brasil, em curso no Congresso Nacional e no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), são adequadas. A audiência ocorrerá em 28 de fevereiro, na Assembleia Legislativa, em Florianópolis.

O evento busca obter esclarecimentos quanto ao tema, além de permitir a manifestação dos interessados a respeito dos seguintes pontos: licenciamento ambiental, iniciativas de alteração, aspectos positivos e negativos; preservação dos princípios gerais do direito ambiental nas propostas em questão; e importância do licenciamento nos aspectos socioeconômicos e ambientais, entre outros assuntos.

A audiência será realizada na forma de exposições e manifestações verbais e escritas por convidados e participantes, e será conduzida pelo procurador da República Walmor Alves Moreira. As inscrições para fazer uso da palavra devem ser realizadas antes do evento começar, no próprio local. O tempo para manifestação oral dos participantes será de cinco minutos, mas poderá sofrer alterações em função do número de interessados.

SERVIÇO

Audiência pública “Propostas de Alteração do Licenciamento Ambiental no Brasil em Curso no Congresso Nacional e Conama (Resoluções 01/86 e 237/97)”.

 Dia 28/2/2018, das 19h às 22h.

Local Auditório Deputada Antonieta de Barros da Assembleia Legislativa de Santa Catarina – Rua Doutor Jorge Luz Fontes, 310, Florianópolis

Imagem

Mostra Una Shubu Hiwea – Livro Escola Viva do Povo Huni Kuĩ do Rio Jordão

Por Itaú Cultural

“A cultura é nossa maior proteção”, afirmou o pajé Agostinho Manduca Mateus Ïka Muru (1944-2011). Nessa frase, o líder espiritual expressa uma das marcas do posicionamento dos Huni Kuĩ, habitantes da região amazônica entre Peru e Acre, na atualidade: o esforço de preservar suas tradições e de transmiti-las não só às próximas gerações, mas também aos não brancos, de modo a retomar o passado e construir o Novo Tempo, o Xiña Bena.

É nesse contexto até  13 de fevereiro de 2018 a mostra Una Shubu Hiwea – Livro Escola Viva do Povo Huni Kuĩ do Rio Jordão. Em dois pisos da sede do Itaú Cultural, em São Paulo, serão exibidas algumas facetas do conhecimento desse povo: seus saberes sobre fauna e flora, suas cerimônias espirituais, seus métodos de cura, seus objetos tradicionais, suas pinturas e seus desenhos.

Entre os itens exibidos, estão também produções audiovisuais, como os documentários de Camilla Coutinho, sobre o modo de viver e pensar do povo Huni Kuin, e de Tauá Klonowski, com imagens aéreas das aldeias do rio Jordão e do rio Taraucá.

Outra camada da exposição é a paisagem sonora criada por Yan Saldanha com base em viagens às aldeias Huni Kuĩ. Segundo o artista, esse ambiente tenta capturar “todo e qualquer som que faz parte da vida dos Huni Kuĩ”, são barulhos da floresta, ruídos de animais e sinais da atividade humana que se misturam.

Os contos tradicionais dos Huni Kuĩ também estarão presentes na publicação impressa feita especialmente para a exposição. São 13 mitos que contam a origem desse povo e de seus costumes. Além das narrativas, o livreto traz textos sobre a cultura Huni Kuĩ.

A exposição tem organização do pajé Dua Busë e de outros representantes Huni Kuĩ, com colaboração da editora Anna Dantes, do artista Ernesto Neto e do Itaú Cultural. Ela é um desenvolvimento da publicação Una Shubu Hiwea – Livro Escola Viva, obra produzida com o apoio do Rumos Itaú Cultural 2013-2014 que reúne o saber medicinal desse grupo e, por sua vez, segue o trabalho começado com Una Isi Kayawa: Livro da Cura, publicado pela Dantes Editora e pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro em 2014.

Visitação até terça 13 de fevereiro de 2018

terça a sexta 9h às 20h [permanência até as 20h30]

sábado, domingo e feriado 11h às 20h

pisos -1 e -2

Local:  Avenida Paulista, 149 – São Paulo/SP

 

Imagem

Ocupação Nise da Silveira (2017)

Por Itaú Cultural

Com bravura de cangaceira e convicção de rebelde, a psiquiatra Nise da Silveira foi pioneira na renovação das estruturas de saúde mental no Brasil. Além do respeito por aqueles que estavam sob os seus cuidados, sua atuação foi marcada pelo uso da arte como forma de expressão e de exploração do inconsciente. O trabalho de Nise demonstrou o valor da terapêutica ocupacional e abriu espaço para a revelação de nomes importantes para as artes visuais brasileiras.

A 37ª edição do programa Ocupação homenageia essa trajetória, apresentando os métodos, as referências e os principais conceitos mobilizados por Nise: o afeto como disparador da cura, os animais como terapeutas, o contato com os materiais como aprendizado fundamental. A mostra conta com obras do Museu de Imagens do Inconsciente, criado por Nise, além de documentos e entrevistas com pessoas próximas à sua obra.

Durante todo o período da exibição da mostra, a Ocupação Nise da Silveira reserva, no piso térreo do Itaú Cultural, um espaço onde o público pode fazer experimentações livres em desenho — uma das técnicas adotadas pela médica em suas terapias.

nformações

Visitação e Ateliê Vivo até: domingo 28 de janeiro de 2018

terça a sexta 9h às 20h [permanência até as 20h30]

sábado, domingo e feriado 11h às 20h

piso térreo e piso 1

Local:  Avenida Paulista, 149 – São Paulo/SP

 

Imagem

Oficina sobre Agenda 2030/ODS 53 – Saúde e bem estar com foco na Meta de Redução da Mortalidade Materna

Os objetivos do desenvolvimento sustentável são parâmetros para uma sociedade mais justa, contudo estamos em uma sociedade de risco onde a ética foi esquecida por governantes e grandes detentores de rendas é algo distante da realidade atual, mas pode ser conquistada a cada dia e depende da atitude responsável de cada indivíduo.

 

1 - IMG-20171213-WA0001

Imagem

Seminário Internacional Água, Vida e Direitos Humanos à Luz dos Riscos Socioambientais

seminário

O Seminário foi organizado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e a Escola Superior do Ministério Público (ESMP), será nos dias 11 e 12 de dezembro o .

O evento ocorre no auditório do CNMP, em Brasília, e conta com a participação de estudiosos e especialistas nacionais e internacionais que atuam no cenário ambiental e hídrico no Brasil, Itália, Palestina e Holanda.

Programação:

p1

p2

 

p3

Inscrições: https://aplicativos2.cnmp.mp.br/inscricaoEventos/login.seam