COMISSÃO DE ESPELEOINCLUSÃO DA SBE VISITA CAVERNAS EM BONITO MS

Artigo enviado pela SBE – Sociedade Brasileira de Espeleologia

Texto de Érica Nunes (SBE 1651) – Coordenadora da Comissão de Espeleoinclusão da SBE – Foto: SBE

Entre os dias 19 e 23 de agosto, um dos mais belos pontos turísticos do Brasil foi visitado pela Comissão de Espeleoinclusão. Para cuidar do roteiro turístico foi escolhida a empresa Ygarapé Tour com o consultor de viagens Gustavo Rabelo. Os passeios escolhidos foram: flutuação no Rio Sucuri Ecoturismo, Bote no Rio Formoso (Ilha do Padre), Visitação no Balneário Municipal de Bonito, Aquário Natural (Baia Bonita), todos com estrutura para receber Portadores de Necessidades Especiais (PNEs) e banheiros adaptados para cadeirantes. Após análise dos locais, o objetivo principal da viagem foi a Gruta do Lago Azul (MS-2) e o Abismo de Anhumas (MS-4).

Gruta do Lago Azul

A visitação na Gruta do Lago Azul foi realizada no dia 21 de agosto e contou com a participação do guia local Valdemir Martins e os monitores Ederson Aivi, Maiko C. Trindade e Aladdin Antônio Chaves de Oliveira, exclusivos para essa atividade. Os visitantes tem acesso ao local via carro, possui grande espaço para locomoção na área de lazer e banheiros adaptados, contudo pedras no chão dificultam o deslocamento com cadeira de rodas, necessitando do apoio de outra pessoa. É necessário que o deslocamento na trilha seja realizado com apoio de pelo menos duas pessoas para facilitar o acesso e tempo de deslocamento que não chega a 13 minutos até uma escadaria com aproximadamente 11 degraus com largura suficiente, na maioria deles, para deslizar com cadeira de rodas, devido a ausência de corrimão e rampas de acesso.

O deslocamento na gruta não é possível com cadeira de rodas e a técnica utilizada foi a de me levar nas costas (mochila) com auxílio de cadeirinha e fitas. O guia Martins ficou na liderança, o monitor Maiko realizou a descida com a cadeirante, e para auxilio dando com apoio dianteiro o monitor Ederson foi o responsável indicando locais aonde Maiko deveria pisar, e para completar o monitor Aladdin com função de apoio nas costas e objetivo de ancorar. Foram realizados tempo de descanso e troca em intervalos de 15 a 20 minutos. Os atrativos da gruta encontrados foram estalagmites logo na entrada, a envolvente sensação de grandeza da cavidade, além de espeleotemas vislumbrados durante a visitação. A beleza do Lago Azul é única por toda harmonia envolvida. Foi possível a avaliação e visitação de todo o trecho turístico, com aproximadamente 180 degraus em sua extensão, outros grupos de visitantes que estavam na caverna não foram impactados com a atividade, ou seja, o desenvolvimento foi natural.

Abismo Anhumas

No dia 21, foi necessário a realização do treinamento prévio e preenchimento de formulário no escritório no centro de Bonito que possui acesso, porém sem banheiro adaptado. Segundo Edmundo Dineli Costa Junior, responsável pela equipe de monitores e gestão de segurança do Abismo Anhumas e técnico pelos componentes ambientais de Bonito, é possível fazer o agendamento da atividade após a confirmação de que o visitante está apto para realizar o passeio. O deslocamento para os visitantes é feito de carro até Abismo Anhumas, onde existe estrutura com banheiro, sem adaptação, que no caso é necessário ajuda de dois monitores, um que pegue a cadeira de rodas e o outro que pegue a cadeirante no colo para entrada e uso. Há também no local, rampas de acesso de madeira com corrimão até a área de permanência com aproximadamente 50 metros; até a área do mirante, local onde se observa a boca do abismo, são de aproximadamente 20 metros com ponte de aproximadamente 78 cm de largura que permite o deslocamento com cadeira de rodas.

A plataforma de aguardo para descida do abismo apresenta um belo cenário com mata envolvendo o visitante, além de bancos para descanso e sala de apoio do Monitor de Técnica Vertical.  A entrada na cavidade não apresenta dificuldades, os equipamentos utilizados atendem procedimentos preconizados na norma brasileira NBRs e também ABNT/ISO NBR 15.331 – Sistema de Gestão da Segurança – Requisitos.

Maiko e João Sanches me equiparam para a descida de rapel, enquanto, Rodrigo Martins, Israel Escudeiro e Thiago Maciel, também monitores do abismo, cuidavam de todo desenvolvimento. A descida têm 72 metros até a plataforma flutuante com Maiko acompanhando. Foi possível observar os primeiros cones com 19 metros de altura submersos e formações espeleológicas, vistos no passeio de flutuação pelo lago. Ao chegar à plataforma, um dos monitores estava no aguardo, uma almofada de ar foi usada como assento e mochilas como encosto favorecendo o equilíbrio. A cadeira de rodas também desceu de rapel o que possibilitou o deslocamento em todo o circuito da plataforma flutuante, o que não dificulta a passagem de outros visitantes na via oposta com aproximadamente 80 m de largura. A permanência dentro do abismo é de aproximadamente 4 horas, o acesso ao banheiro é por uma escada com cortinas favorecendo a privacidade, como se trata de banheiro químico compacto, ele foi levado até o vestiário para uso da cadeirante. No lago do interior da caverna foi possível o passeio de flutuação, onde fui pega no colo para descer a escada de acesso até a água com apoio de Pierre Nunes. No retorno foi realizado o passeio com bote, onde Aladdin me entregou para Maiko que já estava dentro do bote, novamente estabilizada em almofada de ar para iniciar a terceira etapa de visitação, contemplando o ambiente da cavidade com luz, escuro, temperatura da água, presença de espeleotemas como: “buda” , “nega maluca”, “monstro do abismo”, “guardião do abismo” e também ossada de animal além da observação da claraboia. A volta ocorreu com ascensão em corda usando a técnica de resgate (não é exclusivo para cadeirante) rapel, sendo usado içamento para cadeirante.

Conclusões finais

A visita na Gruta do Lago Azul e Abismo Anhumas possibilitou a aplicação dos ‘Indicadores de Acessibilidade’, além de avaliar as condições das cavernas, trilhas e equipamentos utilizados durante a visitação. As sensações são distintas, enquanto a gruta oferece todo um cenário com a beleza de suas formações e azul do lago, com a mata envolta, o abismo é de uma magnitude singular, com observação dos cones submersos no rapel, a sensação de liberdade e o ângulo que  pude ficar foi único. Observar como espeleóloga formações submersas é incrível dentro de um abismo.  Devo ressaltar que não faltou profissionalismo, ética, espírito de equipe, preocupação com bem estar, cuidado, humanidade, simpatia, respeito, dos guias e monitores que acompanharam a atividade e que me surpreendeu a todo o momento. A visitação nas cavidades foi muito tranquila. Agradeço ao Edmundo Dineli Costa Junior por todo o apoio, a Igarapé Tour assim como guia Martins e Monitores do Abismo Anhumas por toda a estrutura para Gruta do Lago Azul e demais atividades. Bonito sem dúvida é um local que atende bem as necessidades dos PNEs, (salvo um detalhe do banheiro adaptado no Bote Rio Formoso, que não fecha a porta) no que diz respeito a pessoas e estrutura arquitetônica, e que também apresenta essa perfeição nos hotéis, no nosso caso Hotel Pousada Caliandra com um quarto adaptado e localizado ao lado da rua principal.

Importante: este artigo também foi publicado em http://www.cavernas.org.br/sbenoticias/SBENoticias_237.pdf

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s