A Economia Global e as Mudanças do Clima

POLUIÇÃO DO AR RESULTA EM 4 MILHÕES DE MORTES PREMATURAS POR ANO

O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas confirma que os impactos afetam sobretudo as populações mais pobres do mundo, estes impactos são consequências da má gestão do risco climático.

A maior parte dos tomadores de decisão já enfrentam problemas com riscos mais imediatos com enchentes, secas e impactos diretos sobre a economia e saúde da população.

A questão é como planejar o desenvolvimento urbano de uma forma que melhore o desenvolvimento econômico a qualidade de vida e a diminuição dos gases de efeito estufa?

Com relação ao impacto de produtividade urbana sustentáveis são necessárias mudanças sistêmicas para um desenvolvimento mais compacto, conectado e coordenado.

A comunidade internacional em um papel importante e deve desenvolver uma produtividade urbana de forma apoiar os esforços das cidades, os bancos são fundamentais para o financiamento destas práticas.

A maior parte de crescimento da economia mundial veio do uso de combustíveis fósseis juntamente com outras fontes, incluindo a agricultura o desmatamento e indústria fatores que contribuem diretamente com o crescimento do aquecimento global em contra partida são consequências deste aumento de aquecimento a redução agrícola nas principais regiões de alimentos e perdas de ecossistemas e espécies.

A agricultura e o uso da terra são responsáveis por um quarto das emissões dos gases de efeito estufa através do gás metano do gado, emissão de oxido nitroso proveniente de fertilizantes e dióxido de carbono resultante da produção de adubo.

As florestas fornecem um capital natural por meio dos serviços de ecossistemas e resiliência de paisagens agrícolas; a comissão do clima recomenda que os países desenvolvidos proporcionem US$ 5 bilhões por ano no financiamento da redução de emissões de gases de efeito estufa decorrentes de desmatamento e degradação das florestas.

Com relação as questões energéticas a redução do consumo de carvão é essencial para redução de CO2, a energias hidrelétrica mas os preços estão fazendo as energias eólicas e solar cada vez mais competitiva com a produção de carvão e gás natural.

Para produção do gás natural são necessárias fortes políticas de acompanhamento como a derrubada do custo social da produção do carvão, eliminação da perca de gás metano e apoio de tecnologias mais baratas é recomendada uma plataforma de colaboração público privada no acesso à energia distribuída.

A Gestão do risco climático e da transição para o desenvolvimento e crescimento com uma economia de baixo carbono ser uma preocupação predominante para gestão da economia global.

A principal recomendação é que o Fundo Internacional (FMI) e a Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE) e os bancos multilaterais de desenvolvimento devem refletir a avaliação de risco do clima e a redução em seus processos junto a avaliação de políticas como relevância para as questões mundiais.

Leia Mais sobre o assunto em: http://static.newclimateeconomy.report/TheNewClimateEconomyReport.pdf   e

http://newclimateeconomy.report/

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s