Situação dos funcionários da área da saúde de São Paulo no enfrentamento ao COVID -19

Por: Ana Marina Martins de Lima

Foto: CDC

Gostaria de sua reflexão sobre quantas vidas podem ser salvas quando você apenas ficar em casa

Informações da Secretaria Municipal de Saúde

Autarquia Hospitalar Municipal (AHM) conta com 18.930 funcionários, destes 1.005 estão afastados (5,3%), 775 com Síndrome Gripal, 223 estão com a Covid-19, e sete morreram.

O Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) possui 2.586 profissionais, destes 50 estão afastados (1,9%), sendo 33 com  Síndrome Gripal e 17 testaram positivo para Covid-19 e nenhuma morte.

A Rede de Atenção Básica do Município, que possui 59.364 funcionários, registra 2.821profissionais afastados, sendo 2.525 por síndrome gripal, 292 por Covid-19 e 4 óbitos. O número de afastados representa 4,75% do total.

Ao todo, a rede soma 80.880 funcionários, destes 3.876 estão afastados, 532 com Covid-19, 3.333 com Síndrome Gripal e 11 foram à óbitos

Informações do COREN

Afastados

1935 Rede Municipal

535 HC/USP

312 Einstein

104 Sírio Libanês

102 São Camilo

67 Oswaldo Cruz

Total 3055

Confirmados

106 Rede Municipal

Não informou HC/USP

104 Sírio Libanês

102 São Camilo

58 Oswaldo Cruz

Total 718

Falta de EPI’s 1045 denúncias

Relato enviado Via Rede Social sobre a situação do trabalho no Instituto Adolfo Lutz

“Compartilho com todos um desabafo triste, sofrido e infelizmente verdadeiro de uma  grande pesquisadora do Instituto Adolfo Lutz sobre o que a Instituição e consequentemente os funcionários estão sofrendo nesta pandemia de COVID 19.

Lembro que nem bem saímos da epidemia de Sarampo. Estamos, além do COVID-19, respondendo por outras centenas de agravos, inclusive dengue!!!

O que pedimos? Respeito e reconhecimento pela nossa Instituição centenária e por nosso trabalho e esforço. Creiam todos: fazemos o possível e o impossível para responder em tempo hábil as nossas demandas…

Mas é humanamente impossível trabalhar sem insumos suficientes. O próprio Secretário da Saúde do Estado de São Paulo Dr. José Henrique Germann Ferreira admitiu ontem em entrevista coletiva a falta de insumos e que a SES estava tomando as devidas providências para suprir as necessidades da Instituição. Como trabalhar sem insumos. É o mesmo que querer fazer um bolo sem farinha e fermento!!!

Isso sem falar da falta de RH!!! Pra que abrir concurso?!!! Parece que se esqueceram ou fazem questão de não encarar a realidade, que nosso corpo técnico também envelhece, assim como toda a população mundial, como todos os seres que habitam o planeta Terra. Com o avançar da idade o inevitável acontece: as pessoas se aposentam. Só que ao invés de contratar, de abrir concursos os nossos governantes simplesmente deixam pra lá…Pois é só um Instituto de Pesquisa!!! Não, não somos apenas um Instituto de Pesquisa. Somos um dos maiores LACENs do Brasil!!!

Enfim, como sempre a culpa tem que recair sobre alguém ou algum lugar!!!

Segue o desabafo da minha amiga e pesquisadora que têm trabalhado a exaustão juntamente com sua equipe e com a força tarefa que se formou no Instituto Adolfo Lutz.

Ninguém sabia que isso ia acontecer?

14.000 exames parados no Instituto Adolfo Lutz, segundo portal G1.

Butantã disponibilizou um laboratório automatizado para o IAL segundo Dr. Dimas Tadeu Covas….kkkkk

É  isso que pretendia nosso governador e nosso secretário  da saúde, decretar nossa incapacidade técnica?

Mas não, somos um corpo de profissionais sejam da pesquisa, sejam do quadro da SES, muito capacitados e hoje colocados à  prova de resistência frente a pandemia de COVID -19.

É isso que dá não investir por anos em pesquisas e não valorizar e implementar estes Institutos

É  isso que dá não realizar concursos públicos para suprir a falta de funcionários, agora estão precisando de profissionais para socorrer a pandemia de Covid-19.

Compraram milhões de testes que ainda estão chegando e pior não foram validados e que sabe-se lá a sensibilidade destes testes.

Resumo do caos, faltam testes, faltam pessoas especializadas para executar os testes sejam os de biologia molecular sejam os testes rápidos.

Faltam EPIs, para os profissionais da saúde para uso em transporte público.

É  obrigação do Estado suprir esta demanda para que não ocorram contaminações fora do ambiente de trabalho e muito menos contaminações destes profissionais por portadores assintomáticos aonde o uso da máscara não  é  indicado.

TRISTEZA, VERGONHA e MEDO.”

Lembro a todos que sem investimento financeiro para recuperação e modernização do parque tecnológico bem como treinamento periódico do corpo técnico e contratação de novos técnicos para suprir as vagas ociosas, incentivo, reconhecimento não se faz Saúde Pública e muito menos ciência!!!    ”          

Postagem nas Redes Sociais por funcionários do Hospital Geral de São Mateus localizado na Zona Leste de São Paulo:

E infelizmente a reportagem abaixo publicada no Reuters confirma a falta de insumos para solucionar a crise que os laboratórios enfrentam:

Laboratórios brasileiros não têm material, e 93 mil amostras aguardam teste

Por: Ana Mano / Reurters

Apesar do acúmulo de mais de 90 mil amostras aguardando testes de coronavírus e um número crescente de mortos no Brasil, existem laboratórios no país ociosos devido à falta de materiais para análise, segundo o Ministério da Agricultura. A pasta disse à Reuters que sete laboratórios disponibilizados para testes de coronavírus e autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não estão sendo usados por falta de insumos.

São cinco Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária (LFDA) e dois da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), de acordo com respostas enviadas à Reuters. Em nota, o ministério afirma que essas instalações podem processar inicialmente 12 mil testes por semana, mas não estão recebendo os reagentes e os insumos necessários para a realização do trabalho. Separadamente, a Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, informou a possibilidade de uso de 47 laboratórios seus, o que permitiria, potencialmente, o processamento de quase 43 mil testes de covid-19 por dia.

Por e-mail, o Ministério da Saúde não explicou o motivo pelos quais os laboratórios oferecidos ainda não estão sendo utilizados. A pasta comandada pelo ministro Luiz Henrique Mandetta disse apenas que se esforça para aumentar os testes “mesmo diante da falta de insumos e da alta procura mundial por kits de testagem”

O SUS (Sistema Único de Saúde) realizou 89 mil testes para covid-19, segundo o comunicado do Ministério da Saúde. Na segunda-feira, o ministério disse que havia um total de 93 mil testes pendentes. Há uma demora no Brasil para a realização de testes em massa, apesar da recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) de “testar, testar, testar”. A falta de testes significa que o Brasil pode ter 12 vezes mais casos do novo coronavírus do que está sendo oficialmente divulgado.

Segundo o Ministério da Saúde, 451.432 testes foram distribuídos aos estados, mas a pasta não esclareceu se alguns deles seriam usados nos laboratórios do Ministério da Agricultura.

Uma fonte do governo disse que um dos principais problemas é a ausência de coordenação entre os ministérios da Saúde e da Agricultura. A fonte, que pediu anonimato, afirmou que a falta de reagentes pode ser superada através do desenvolvimento de novos protocolos usando bioquímicos alternativos.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s