Suspeita de contaminação da água por rotavírus na Bahia

Por: Ana Marina Martins de Lima

De acordo como jornal Correio da Bahia os casos se iniciaram no dia 09 quando uma criança de 1 ano e 8 meses veio a óbito e 21 pessoas da mesma localidade foram internadas com suspeita de contaminação pela água.

A Secretaria de Saúde local encaminhou a coleta de água para o Lacen e o abastecimento de água foi suspenso temporariamente.

O diagnóstico complementar para doenças realizadas a água é o exame das fezes do paciente junto a coleta de análise de água para verificação de contaminação pelo rotavírus bem como outros agentes patogênicos.

Foto da caixa dágua localizada na comunidade de Lagoa do Boi de autoria do Leitor do Correio da Bahia

A EMBASA realizou a seguinte publicação em seu site:   “ Desde que a suspeita de que a água distribuída na comunidade de Lagoa do Boi, no município de Araci, foi levantada pela Vigilância Sanitária, devido a episódios de mal-estar na população local seguidos de hospitalização e um óbito, a Embasa iniciou uma série de medidas visando a segurança da saúde da população local. No dia 11/09, a empresa interrompeu o abastecimento nas localidades rurais de Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema e iniciou uma investigação por meio da coleta de amostras no reservatório e na rede distribuidora local e de análise em laboratório para verificar se a água está dentro dos padrões de potabilidade determinados pelo Ministério da Saúde e se existem indícios de substâncias contaminantes na água. Os resultados obtidos até agora indicam que a água distribuída na localidade tem cloro residual dentro de padrão recomendado pelo Ministério da Saúde e não tem presença de microrganismos nocivos à saúde ou que coloquem em risco a saúde da população. Hoje (16), pela manhã, técnicos da empresa coletaram amostras no reservatório do sistema de abastecimento para analisar mais parâmetros de potabilidade e chegar a evidências conclusivas sobre a qualidade da água distribuída nessas localidades. O trabalho de investigação realizado pela Embasa também inclui a coleta de amostras nos açudes que existem nas três localidades e que são utilizados como fontes alternativas de abastecimento pela população, pois carros pipas captam água neles e alguns moradores também enchem vasilhas. De acordo com o superintendente de Operação da Região Norte da Embasa, Raimundo Neto, o abastecimento vai continuar interrompido nas três localidades até que todas as evidências quanto à qualidade da água distribuída nessas localidades sejam apresentadas à Vigilância Sanitária.  Aquífero Tucano: O manancial que abastece as localidades rurais de Lagoa do Boi, Lagoa dos Cavalos e Jurema é o aquífero Tucano cuja água subterrânea é de excelente qualidade, necessitando somente de desinfecção para ser distribuída. Esse manancial abastece, além dessas três localidades, aproximadamente mais 50 localidades nos municípios de Araci, Tucano e Santa Luz, sendo que nelas não foram registrados casos de mal-estar na população.”

Sobre a Doença:

De acordo com o Ministério da Saúde os sinais e sintomas clássicos do Rotavírus (rotavirose), principalmente na faixa etária dos seis meses aos dois anos, são as ocorrências repentinas de vômitos. Na maioria das vezes, também podem aparecer, junto com os vômitos: diarreia com aspecto aquoso, gorduroso e explosivos e febre alta. Podem ocorrer formas leves e subclínicas nos adultos e formas assintomáticas na fase neonatal e durante os quatro primeiros meses de vida  e  nas formas graves, o Rotavírus (rotavirose) pode provocar: desidratação; febre e morte.

Formas de prevenção:

As orientações do Ministério da Saúde são: administração da vacina para rotavírus humano G1P1[8] (atenuada) em crianças menores de seis meses. O esquema de vacinação é de duas doses exclusivamente por via oral, sendo a primeira aos 2 meses e a segunda aos 4 meses de idade com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.

A vacina é contraindicada nos seguintes casos: imunodeficiência, uso de imunossupressores ou quimioterápicos, história de doença gastrointestinal crônica, má-formação congênita do trato digestivo não corrigida, história prévia de invaginação intestinal ou história de hipersensibilidade a qualquer componente da vacina.

Outras ações de prevenção incluem práticas de higiene e consumo adequado de alimentos, tais como:

  1. Lavar sempre as mãos antes e depois de utilizar o banheiro, trocar fraldas, manipular/preparar os alimentos, amamentar, tocar em animais.
  2. Lavar e desinfetar as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos.
  3. Proteger os alimentos e as áreas da cozinha contra insetos, animais de estimação e outros animais (guardar os alimentos em recipientes fechados).
  4. Guardar a água tratada em vasilhas limpas e de boca estreita para evitar a recontaminação.
  5. Não utilizar água de riachos, rios, cacimbas ou poços contaminados.
  6. Ensacar e manter a tampa do lixo sempre fechada. Quando não houver coleta de lixo, este deve ser enterrado.
  7. Usar sempre a privada, mas se isso não for possível, enterrar as fezes sempre longe dos cursos de água. Manter o aleitamento materno (aumenta a resistência das crianças contra as diarreias), evitando o desmame precoce.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s