Evento sobre Mobilidade Urbana e Segurança Viária

Por: Ana Marina Martins de Lima

A mobilidade “humana” é uma questão socioambiental uma vez que está relacionada com a necessidade da população em se deslocar para realizar suas atividades: trabalho, lazer e busca de serviços de saúde.

O deslocamento humano pode ser realizado por diversos meios: bicicletas, motocicletas, carros, transportes públicos (ônibus, trens, embarcações e metrô) e por caminhadas.

Sem dúvida o grande objetivo deste evento é expor para sociedade e governos a importância destes meios e a necessidade de qualidade dos serviços de acesso e o quanto o transporte está relacionado as questões de saúde pública.

Com certeza serão apresentados os índices de acidentes ocorridos no país e na cidade, o que eles têm em comum é a ação humana geralmente de imprudência e por falta de cultura.

Algo que não prestamos atenção no nosso dia-a-dia é como o nosso corpo é maltratado durante as horas em que passamos por exemplo dentro do metrô, imagine você que quando nos transportamos em pé no metro os movimentos de  “freiar” ou mesmo redução pequena de velocidade pode  ocasionar em nós lesões na  coluna e em membro superiores ou inferiores (braços e pernas) , respiramos um mesmo ar e não há um consenso o ar pode estar “sujo” ou em temperaturas muito frias, quando saímos para estação temos um “choque térmico”, nos últimos três meses na cidade de São Paulo a companhia de metro simplesmente tem “congelado” as pessoas o que sem dúvida colaborou para o aumento de procura por atendimento devido a doenças respiratórias como sinusite e influenza , além de problemas de dores articulares e musculares.

Por outro lado  no transporte público também não há um consenso quanto a disponibilização de “bancos especiais”, possuímos uma grande maioria de pessoas sem cultura o que levou a necessidade de uma “lei” para tentar obrigar as pessoas a deixarem os idosos e deficiente sentarem. O que infelizmente alguns não sabem ou fingem não saber é que o corpo do idoso é frágil e uma lesão pode simplesmente fazer deste um paciente que necessitara de maiores cuidados, correndo-se o risco de torna-lo imóvel ou ser este mais um “deficiente”. Quanto aos deficientes físicos não é necessário mais comentário. Talvez no caso do metro a reserva de vagões inteiros para este público seria o mais viável.

Com a possiblidade de acesso a mais serviços nos celulares infelizmente as pessoas “modernas” querem estar o tempo todo conectadas há uma necessidade de estar-se  “vigiando” o tempo todo a vida de outros por meio da internet ou mesmo estar utilizar as redes sociais para se comunicar com outra pessoas e o público torna-se nestes momentos “deficientes visuais e auditivos”, além de deficientes “mentais” pois alguns jovens deixam “idosos” e pessoas necessitadas realizarem viagens de pé, pois sentem-se no direito de estar sentados para utilizarem seus celulares.

As pessoas preferem segurar o celular e simplesmente depositam o peso de seu corpo em outras, além de causarem lesões em si mesmas e colocarem em risco outras pessoas, um jovem quase caiu em cima de uma criança recém-nascida.

Vivencio este fato todos os dias pois utilizo as linhas “vermelha”, “amarela” e “azul” para chegar no meu local de trabalho; o deslocamento de casa até o trabalho é de no mínimo duas horas.

Pela manhã temos um movimento insanos na estação, simplesmente enfrente há uma porta do metro onde deveriam estar duas filas de pessoas há quatro filas, sendo uma para entrar e as outras três para “esperar” o próximo trem, na plataforma poucos funcionários do metro pois creio que muitos deles se afastaram ou se demitiram por stress.

No trem da Luz na linha que vai para Guaianazes ou estudante há mais momentos de “guerra”, homens não respeitam mulheres e crianças e empurram para se sentar aos gritos alguns festejam sua vitória.

Já vivenciei várias situações insanas, como mulheres agredindo outras, homens agredindo mulheres, acidentes diversos como por exemplo um rapaz que teve fratura exposta do ombro e as pessoas “pularam” o rapaz que estava no chão para entrar no metro; suícidio pela manhã na Estação Guaianazes, suicídio ao meio do dia na estação Sé.

Ajudei os funcionários do metro a terem acesso a uma senhora para socorre-la pois esta desmaiou e as “pessoas” não queriam deixá-los entrar e uma jovem com síndrome do pânico…

Nas ruas mais insanidade vários acidentes com motoqueiros e pessoas que utilizam bicicletas, no caso dos motoqueiros existe os imprudentes que colocam o trabalho acima de suas vidas e os que sofrem acidentes por imprudência de motoristas de carros.

Os que se locomovem com bicicletas são “guerreiros” ou também podem ser considerados “insanos” quando não estão devidamente preparados ou equipados, podem ser vítimas, sabemos de vários jovens que perderam as vidas durante o “choque” com carros e ônibus, pois alguns motoristas também são despreparados para dividirem o espaço com as outras formas de transporte e fogem ao bom senso.

Enfim serão apresentados números em resultados de pesquisas que demonstraram a necessidade imediata de uma Política Pública protetora da Saúde Humana que se desenvolvida e bem praticada resultara em uma grande economia no setor e uma melhor satisfação da população com os governos.

Outra questão muito importante: como fazer com segurança o transporte de produtos perigosos “químicos” e como utilizar o transporte de produtos na maioria minérios por vias públicas?  Como os setores de segurança , saúde e meio ambiente estão preparados para minimizar os impactos de acidentes para a  mobilidade urbana?

22

O MOBIFILM será realizado em agosto de 2016 e contará com 3 dias de atividades. No primeiro dia do evento (12 de agosto), haverá dois seminários internacionais sobre mobilidade e segurança viária, promovidos pela ANTP. As sessões de cinema, com filmes em diversos formatos, ocuparão os 2 dias restantes (13 e 14 de agosto).

Organizados pela Associação Nacional de Transportes Públicos – ANTP, os seminários do MOBIFILM darão ênfase para o debate entre os palestrantes, ONGs participantes e público presente. Serão dois eixos temáticos: Mobilidade Urbana e Segurança Viária. Para discutir Mobilidade Urbana, convidamos Nabil Bonduki e Paulo Saldiva. Para discutir a violência de trânsito, Jilmar Tatto e Pere Navarro Olivella. Os palestrantes terão um tempo curto de exposição, a ênfase sendo dada à participação do público em um púlpito montado para este propósito.

O evento ocorrerá no CCSP – Centro Cultural São Paulo.

Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, São Paulo – SP

Mais informações: http://www.mobifilm.com.br/

Espaço para sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s