Ministério Público do Trabalho já instaurou mais de 1700 inquéritos civis para apurar irregularidades trabalhistas relativas à Covid-19

Por: Procuradoria-Geral do Trabalho * Editado por Ana Marina Martins de Lima

Desde o início da pandemia, as denúncias de violações trabalhistas relacionadas à Covid-19 têm dominado a pauta do Ministério Público do Trabalho (MPT). Das 18.422 denúncias recebidas pelo órgão neste período, metade delas (9077) são de irregularidades relativas ao novo coronavírus, segundo levantamento extraído às 10h desta segunda-feira, 20 de abril, do sistema MPT Digital.

Até o momento, foram abertos 1.747 inquéritos civis em todo o país somente com o tema Covid-19, um crescimento de 32% em relação à semana passada, quando eram 1.322 inquéritos civis, no dia 13 de abril. As reclamações vão desde a falta de proteção à saúde e à segurança do trabalhador até demissões em massa ou fraudes nas rescisões contratuais, entre outras queixas.

Ainda a respeito da Covid-19, a instituição emitiu pelo menos 6.163 recomendações, com o objetivo de conscientizar diversos setores econômicos sobre as medidas a serem adotadas durante a pandemia. Sobre o assunto, as mediações já chegam a 131 e foram ajuizadas 45 ações civis públicas (ACPs), quando os acordos extrajudiciais não foram possíveis. Em 13 de abril, esse número era, respectivamente, de 100 procedimentos de mediação e 30 ACPs.

Para ampliar o diálogo social e acompanhar as políticas públicas de enfrentamento à Covid-19, o MPT registra hoje, 20 de abril, um total de 674 procedimentos promocionais, que já somavam 599 no levantamento mais recente, em 13 de abril. Os documentos expedidos (notificações, ofícios e requisições) referentes ao novo coronavírus chegaram a 24.735, e os despachos dos procuradores do MPT já atingem a marca de 15.580. Números que, na última segunda, 13, eram de 17.345 documentos e 10.835 despachos.

O órgão se coloca à disposição da sociedade para mediar conflitos entre trabalhadores e empregadores, decorrentes dos impactos gerados pela pandemia, e continua recebendo e processando denúncias, por meio do aplicativo MPT Pardal, pelo formulário online disponível aqui, ou ainda pelos canais informados nas páginas das seguintes unidades regionais:

Rio de Janeiro: www.prt1.mpt.mp.br

São Paulo: www.prt2.mpt.mp.br

Minas Gerais: www.prt3.mpt.mp.br

Rio Grande do Sul: www.prt4.mpt.mp.br

Bahia: www.prt5.mpt.mp.br

Pernambuco: www.prt6.mpt.mp.br

Ceará: www.prt7.mpt.mp.br

Pará e Amapá: www.prt8.mpt.mp.br

Paraná: www.prt9.mpt.mp.br

Distrito Federal e Tocantins: www.prt10.mpt.mp.br

Amazonas e Roraima: www.prt11.mpt.mp.br

Santa Catarina: www.prt12.mpt.mp.br

Paraíba: www.prt13.mpt.mp.br

Rondônia e Acre: www.prt14.mpt.mp.br

Campinas: www.prt15.mpt.mp.br

Maranhão: www.prt16.mpt.mp.br

Espírito Santo: www.prt17.mpt.mp.br

Goiás: www.prt18.mpt.mp.br

Alagoas: www.prt19.mpt.mp.br

Sergipe: www.prt20.mpt.mp.br

Rio Grande do Norte: www.prt21.mpt.mp.br

Piauí: www.prt22.mpt.mp.br

Mato Grosso: www.prt23.mpt.mp.br

Mato Grosso do Sul: www.prt24.mpt.mp.br

Mortes entre profissionais de saúde podem ser evitadas com uso adequado de equipamentos de segurança individuais e coletivos de boa qualidade, são necessárias medidas urgentes de fiscalização quanto aos fornecedores anteriores a pandemia e aos atuais fornecedores, o mesmo pode ser realizado com materiais para limpeza e sacos próprios para descarte de resíduos da saúde. Gráfico fornecido por profissionais da Saúde

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s